Disparada na cotação do petróleo deve estimular ainda mais a energia solar

Solis Energia – 08/03/2022

Em 2022, o preço do barril do petróleo brent ultrapassou a marca dos 100 dólares e a cotação internacional continua subindo com os desdobramentos das sanções econômicas sobre a Rússia decorrentes da guerra na Ucrânia. Desde 2011, o preço do petróleo não era não alto e o impacto desse aumento está se traduzindo em combustíveis mais caros em todo o mundo.

Gráfico com cotação do petróleo brent. Fonte: investing.com
Trabalhadores carregando balde com petróleo.

Muitos brasileiros não se importam com o preço internacional do petróleo, contudo esse é um preço que faz muita diferença em suas vidas cotidianas. Uma vez que o petróleo é a matéria-prima utilizada para produção de combustíveis, uma alta explosiva do petróleo pode impactar os preços de quase tudo que consumimos como alimentos, produtos industrializados, serviços e, acima de tudo, energia elétrica!

Em 2021, o Brasil passou pela sua pior crise hídrica em 91 anos e os efeitos estão sendo sentidos até hoje nas contas de energia dos brasileiros com a cobrança da bandeira “Escassez Hídrica”. Basicamente, essa cobrança teve como finalidade o custeio do acionamento de todas as usinas termelétricas movidas a combustíveis fósseis do Brasil durante a seca que comprometeu a geração de energia da matriz hídrica.

O grande problema agora é que o custo de acionamento das termelétricas que já era elevado em 2021 e agora ficou ainda mais alto com a cotação do petróleo em 2022 nas suas máximas históricas! Além disso, é importante lembrar que, embora a temporada de chuvas no Brasil tenha sido intensa em algumas regiões do país, a ONS comunicou que o cenário ainda requer cautela e, segundo especialistas, as termelétricas continuarão sendo utilizadas.

Com isso, não resta alternativa aos países se não diversificar a matriz energética internacional para não dependermos tanto dos combustíveis fósseis.

Usina fotovoltaica no estado de Arizona nos EUA.

Cada vez mais, a energia solar se apresenta como uma alternativa viável num cenário de combustíveis extremamente caros e, o pior de tudo, poluentes. Dessa forma, quem se antecipar agora e investir na sua própria usina de energia solar vai estar protegido dos aumentos amplamente esperados da energia elétrica no mundo inteiro.

Sem dúvida, o ano de 2022 se coloca como uma oportunidade para os consumidores em termos de investimento na energia solar. Quem investir na sua própria usina de energia solar em 2022, primeiro, ficará protegido do preço elevado dos combustíveis que vão impactar diretamente o preço da energia elétrica e, principalmente, ficará isento de cobrança pelo uso da rede da concessionária até 2045. Isenção essa que foi garantida pela Lei 14.300/22.

Contudo, deve-se ainda ter em mente que o preço dos combustíveis deve também impactar o valor do investimento na energia solar. Podemos mencionar pelo menos dois motivos para o encarecimento da energia solar.

Primeiro, o custo do frete internacional ficará maior, pois os navios, que transportam os containers vindos da China com painéis e inversores fotovoltaicos, terão que pagar mais caro pelo combustível consumido no transporte. Com isso, a expectativa é que boa parte desse custo adicional seja repassado ao preço dos equipamentos de energia solar, até porque a capacidade de transporte marítimo mundial vem apresentando estrangulamentos e está sobrecarregada desde o início da pandemia de Covid-19 e, com a instabilidade e as restrições logísticas impostas pela guerra na Ucrânia, a situação tende a piorar ainda mais.

Navios cargueiros sendo carregados com containers em porto.

O segundo motivo para aumento do preço da energia solar é que, enquanto você está amadurecendo a sua ideia de investir na energia solar, outras pessoas, empresas e governos do mundo inteiro estão se antecipando para garantir sua geração de energia solar num cenário onde o petróleo está impactando os preços de tudo que se consome. Logo, o aumento expressivo por demanda por energia solar tende a pressionar a oferta de equipamentos de energia solar no curto prazo o que naturalmente forçará os preços para cima. Nessa corrida, os países desenvolvidos e mais ricos têm a vantagem de possuir maior capacidade financeira para realizar investimentos elevados, enquanto países em desenvolvimento e com moeda fraca como o Brasil não conseguirão competir com outros compradores na hora de pagar mais caro pela energia solar.

Resumindo: a hora de investir na energia solar é agora!

Quem deixar para depois pagará mais caro pela energia cobrada pela concessionária e terá que desembolsar um valor mais alto para realizar o investimento na sua usina. E ainda será “taxado” ao pagar pelo uso da rede da concessionária!

Não perca tempo e solicite seu orçamento!

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é image.png